Monsieur Hulot: Entrevista ao realizador José Farinha

O filme “O Inimigo Sem Rosto” teve uma forte presença nos festivais de Portugal. Como foi a recepção do público face ao filme? Que balanço fazes?

Posso dizer que o balanço é bastante positivo. Esteve presente no Festival Bragacine, nos Caminhos do Cinema Português em Coimbra, no Fantasporto, no FESTin em Lisboa e no Festroia em Setúbal.

Recebeu o Prémio Augusta IPJ para Melhor Filme Português, e em Dezembro a actriz São José Correia foi considerada a Melhor Actriz Secundária no IV Prémio de Actores de Cinema atribuído pela Fundação GDA.

“O Inimigo Sem Rosto” teve uma excelente recepção do público, porque há uma grande identificação com o tema: fraude e corrupção em Portugal. Pena é que as distribuidoras não apostem forte nos filmes portugueses. Preferem os blockbusters americanos que são muito mais atraentes em termos de bilheteira.

O que até é uma ideia errada porque se existir uma boa promoção e divulgação aos filmes nacionais com uma forte distribuição nas grandes superfícies comerciais, onde estão a maior parte das salas de cinema – o sucesso é garantido!

 

A existência e o trabalho da Academia Portuguesa de Cinema é um passo importante para a produção nacional. Qual é o teu papel e o que representa para ti esta Academia?

Sou membro da actual direcção da Academia Portuguesa de Cinema e desempenho o cargo de Secretário da Assembleia Geral para além de outras tarefas que são semanalmente atribuídas nas reuniões de Direcção.

A Academia é fundamental para o futuro do nosso Cinema. A Academia já deveria ter nascido há muitos anos. Mas pretende ser uma organização moderna, que não pertence a uma elite mas sim a todos.

Tem em atenção o apoio e a divulgação do cinema português em toda a sua diversidade: o cinema de autor, o cinema comercial, os filmes de animação, as curtas-metragens, os documentários, as longas-metragens.

Queremos remar todos no mesmo sentido com objectivos bem traçados estabelecendo prioridades. Educar e desenvolver nas crianças uma cultura de amor pelo cinema português porque são elas o futuro, aproximar os espectadores adultos do cinema que é produzido em Portugal dando uma imagem mais positiva que seja o seu espelho, dar uma maior importância e destaque aos festivais de cinema, organizar cursos de formação em áreas específicas e técnicas. Sabemos que é um longo caminho a percorrer…

José Farinha com a actriz Maria João Bastos 

A Academia está envolvida também com a atribuição dos prémios Sophia (os chamados “Óscares” portugueses). Como foi todo o processo de escolha do nome? Como está neste momento todo o processo da organização da gala?

Estamos na fase de organizar uma Gala de atribuição de prémios que valorizem e dignifiquem da melhor forma quem faz cinema em Portugal.

Estamos em negociações com uma estação de televisão para a transmissão em directo do evento, prosseguimos contactos com várias empresas e instituições para darem patrocínio financeiro e logístico, e muitas outras diligências relacionadas com este complexo processo.

A Gala será na última semana de Setembro ou na primeira de Outubro de 2012. Tem como finalidade premiar os melhores profissionais em cada uma das distintas especialidades do sector.

Os Prémios Sophia são os nossos prémios e a escolha passou por uma esmagadora votação neste nome em Assembleia Geral. Trata-se de uma homenagem à escritora Sophia de Mello Breyner e às mulheres.

Sophia foi o nome escolhido por haver poucos prémios de cinema com um nome feminino e por vivermos numa sociedade ainda muito controlada pelos homens, além de significar, em grego “sabedoria”. É um nome bonito, curto e facilmente pronunciável no estrangeiro.

 

Com uma longa-metragem na bagagem, quais são os teus projectos futuros?

Além da longa-metragem produzi e realizei, através da minha marca – a Inferno Films – o documentário “Badoca Safari Park” que angariou o prémio de melhor documentário internacional no New York International Independent Film and Video Festival em 2009.

É um documentário educacional orientado para jovens e para toda a família e trata da conservação e preservação das espécies. Foi filmado no Alentejo, num dos mais belos parques zoológicos da Europa.

Os meus projectos futuros passam por temas tão díspares como o fado e o futebol. Serão uma série TV e uma longa-metragem de ficção e ambos os projectos terão um documentário para exibição nas salas de Cinema.

São José Correia a receber o prémio de ‘Melhor Actriz Secundária’ 

“A primeira coisa que um filme tem de fazer é lucro” – José Farinha. Qual é, a teu ver, o paradigma que se vive no cinema português? E qual achas que é a solução para a indústria cinematográfica portuguesa lucrar com os seus filmes?

Em primeiro lugar nunca gostei muito da expressão “Cinema Português” que está muito relacionado com um passado recente do nosso público estar de costas voltadas com os filmes nacionais. Gosto mais da expressão “Indústria Cinematográfica Portuguesa”.

Essa sim tem muito maior significado e faz mais sentido em responsabilizar quem faz filmes e de aproximar o público português do que se produz por cá. Mas isto é apenas uma opinião pessoal.

A questão mais importante é que se deve sempre ter em conta que o cinema tem que ser visto como um negócio, o que até aqui não tem sido feito. A primeira coisa que um filme tem de fazer é lucro… fazer dinheiro, e ser visto pelo maior número de espectadores. Não interessa se é um filme de autor ou se é um filme comercial.

A solução passa por uma forte promoção e divulgação dos filmes, por uma distribuição exemplar, por fazer chegar às pessoas a mensagem de que “o que é nacional é bom”, não termos vergonha de nós próprios, defender a nossa língua, produzir filmes para crianças e educa-las a irem ver filmes portugueses, colocar uma curta-metragem antes de qualquer filme, seja nacional ou estrangeiro. Há tanto por fazer…

 

Miguel Peres

aproveite ainda para ler:

Monsieur Hulot, apresentação da nova secção de Cinema do portal Ave Rara

Crítica ao filme «Efeitos Secundários» de Paulo Rebelo 

Cinema Português perde espectadores em 2012

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: